sexta-feira, 3 de outubro de 2008

A viagem.

"Quando empreendas túa viaxe cara Ítaca, debes rogar que a viaxe sexa longa, chea de peripécias, chea de experiências, que sexan moitos os días de verán; que te vexan arribar con gozo a portos que ti antes ignorabas. Mais non fagas ás présas o teu camiño; melhor será que dure moitos anos, que chegues, xa de vello, á pequena illa, rico do que ganaches no camiño. Non has esperar que Ítaca te enriqueza: Ítaca xa che concedeu unha fermosa viaxe".

(Konstantínos Kaváfis)






8 comentários:

Paula disse...

Afinal quando é que chegam? Tanto caminho, tanto caminho e nenhum que venha dar aqui???
Bêjos

Camolas disse...

Já cá estamos.

Pata Negra disse...

E agora?!

Camolas disse...

Quem sabe,? pata negra.

Charlotte disse...

Benvindos de volta. Para quando os festejos que se impõem?

Beijinhos

Camolas disse...

Charlotte: A vida proibiu-me os festejos, disse-me baixinho que as minhas manifestações de alegria extravazam largamente os limites do razoável.

à espera da liberdade disse...

Os limites não existem...
Os pontos de referência servem para refenciar ...limites e razões.
Como não estamos a falar de benchmarK
Viva a felicidade de extravasar!
Viva a catarse!
Viva tambem o saber quando e como!
Viva a Liberdade!
BJS

Camolas disse...

Que te libertem rápidamente tu que esperas, fazes-nos falta .